7 Dicas de SEO práticas para começar a aplicar hoje

dicas de seo

Esse post foi escrito em parceria com o especialista em SEO Cristiano Silveiro.

Não existe uma imagem que descreva melhor como é trabalhar com SEO como a mostrada acima! Os resultados vêm a médio e longo prazo e o esforço é muito grande. A boa notícia é que se você estiver disposto a ser referência em conteúdo no seu mercado de atuação os resultados irão aparecer, e separamos as 7 principais dicas de SEO para que isso aconteça!

Já é de conhecimento geral que os sites de busca levam em conta duas principais variáveis: a otimização da sua página (SEO on page) e a quantidade (e qualidade) de links que apontam para seu site (SEO off page). O foco desse post é discutir as dicas de SEO relacionados à ambas as frentes.

Dicas de SEO Off Page

Antes de começar as dicas de SEO…

1) … tenha um bom painel de palavras-chave:

Palavras que tem muitas buscas normalmente também tem muita “poluição” embutida. Veja o caso da palavra “Liderança”: o Google aponta em média 33.100 buscas mensais. Porém, as pessoas podem estar procurando livros sobre Liderança, empresas referência em Liderança, etc. Sua conversão pode não ser boa nessa palavra (leads que não são seu público-alvo ou ainda que estão iniciando as pesquisas por este termo).

Talvez você esteja querendo escrever sobre como liderar uma equipe. Esse termo tem 1.000 buscas mensais e o resultado tende a ser muito melhor em termos de conversão, pois além de focar em termos com mais intenção de compra, não estão no topo do funil de vendas.

2) Conteúdo de qualidade:

Para ser referência você terá que produzir ótimos textos e, assim, conseguir links que apontam para seu site (ou blog, no caso), também chamados de backlinks. Não existe outro jeito!

Repare que o post não começa discutindo técnicas de otimização de páginas e a razão é muito simples: de nada adianta sua página ser otimizada se seus posts são superficiais e não há links de outros sites apontando para você.

Leia tudo o que encontrar sobre seu mercado e ramo de atuação. Seu negócio deve ser encarado como o grande motor para a escrita dos posts e você deve ser melhor que seus concorrentes para falar sobre ele. Um dos fatores de sucesso do empreendedor é preparo!

Esse podcast com a Emília Chagas da Contentools aborda um pouco mais sobre diferentes tipos de conteúdo na jornada de compra. Vale a pena ouvir!

3) Link Building:

Invista num relacionamento com blogs parceiros, escrevendo Guest Posts para eles. Ao invés de apenas trocar links casuais e esporádicos com outros blogs, você cria um relacionamento e uma rede de pessoas que valorizam seu conteúdo. E em troca, você faz links para seu site parceiro. Mas não abuse: um link por post está ótimo! Se você produzir bons textos e começar a aparecer nas pesquisas, será convidado a escrever em outros blogs, e a engrenagem continuará girando, cada vez mais rápido.

Entre as dicas de SEO essa é a mais importante: muitos sites focam nas técnicas de SEO On Page, mas negligenciam blogs parceiros. Você terá que fazer ambos se quiser acelerar seu posicionamento orgânico.

Dicas de SEO On Page:

4) Plug-ins:

Conforme dito anteriormente, é fundamental a produção de conteúdo para obter melhores colocações em sites de buscas, assim como captar novos clientes e leads. Nesse sentido, a melhor ferramenta para comportar seus conteúdos é o WordPress.

O wordpress é um cms, do ingles Content Manager System, ou ainda em português, Sistema Gerenciador de Conteúdos. O melhor de tudo é que o WordPress é um sistema aberto (open source), de fácil uso e com vasta rede de programadores e usuários. Isso dá uma grande vantagem ao WordPress, pois possui uma gama imensa de plugins.

Eles agregam funcionalidades incríveis, literalmente turbinam seu sistema. Hoje é possível você usar o wordpress inclusive para e-commerce, somente com plugins. Relacionamos abaixo os mais importantes.

– WordPress SEO (by Yoast): esse plug-in permite que você acompanhe ao vivo a escrita dos posts e veja quais as dicas de SEO que seu texto já contempla e quais você ainda precisa atacar. O diagnóstico é rápido e funciona muito bem. Este plugin atua como se fosse seu consultor particular de SEO. Na medida que você edita seu conteúdo/post, ele vai avaliando e te orientando onde e de que forma você melhorar sua publicação.

Além de preencher o título e palavra-chave em foco, ele permite que você escreva a meta-descrição da página e veja uma prévia do snippet de como ficaria no Google.

– All In One Schema.org Rich Snippets: plug-in que permite escrever um sumário ao final do post, com um descritivo do conteúdo, uma imagem e autor. Essencial se seu blog possui vídeos, pois ele auxilia o Google a entender os metadados e a classificar o que há naquela página, melhorando a forma como o conteúdo é mostrado no site de busca e elevando sua classificação.

É importante que você tenha em mente que os sites são rastreados e indexados pelos bots. Bots são “robôs” que varrem a internet e indexam cada página dos sites do mundo inteiro. Apesar da funcionalidade formidável de indexar o imenso conteúdo da internet mundial, os bots não “entendem” o que escreveu em sua página.

Por isso, devido à essa “deficiência”, foram criadas fórmulas matemáticas complexas, chamadas de algoritmos, que atribuem “peso” (ou valor) a cada página do seu site. Digamos que a grosso modo, páginas otimizadas (com uso de técnicas de SEO) tem um peso maior do que páginas não otimizadas. Por isso, por terem mais ‘peso’, ficarão melhor colocadas nas buscas.

Tudo isso mudou em 2011, com criação da iniciativa chamada schema.org (ou metadados ou ainda rich snippets). Essa iniciativa teve origem num caso raro de união entre Google, Bing e Yahoo que firmaram protocolos em conjunto, padronizando os metadados. Então, com uso dos metadados, os bots passaram a entender as páginas que estão indexando.

– WP-Optimize: uma das variáveis importantes para sites de busca é o tempo de carregamento da página. Portanto, esse plug-in ajuda limpando todo o “lixo” que o WordPress acumula (como revisões de textos, rascunhos automáticos, itens na lixeira, etc). Isso faz com que o blog fique mais rápido para carregar. E o processo é o mais simples possível: apenas um clique no botão “Process”.

5) Otimização das categorias:

É altamente recomendável que você trabalhe com categorias em seu blog para que os sites de busca consigam enxergar melhor seu conteúdo. As categorias devem aparecer também na slug da página, como a seguir: blog.suaempresa.com.br/categoria/nome-do-post(.html.)

Escolha bem as categorias de seu blog, validando palavras com uma boa quantidade de buscas e que agreguem as postagens de maneira inteligente. Veja abaixo o exemplo da Siga o Rastro:

DICA EXTRA: Além disso é essencial preencher as categorias com o slug (exemplo: blog.sigaorastro.com/recursos-humanos) adequado, e descrição de quais tipos de posts o usuário encontrará ali. Isso faz com que as suas categorias também estejam otimizadas para os sites de busca.

6) Google Webmaster Tools:

O Google disponibiliza uma ferramenta para que você consiga analisar os principais inputs relacionados a SEO do seu blog. Nessa ferramenta você pode verificar alguns aspectos importantes como:

– Erros 404 (e outros): verificar quais páginas do seu blog são acessadas e retornam esse erro. Por exemplo: você atualizou o nome do post e a url foi alterada. Você conseguirá encontrar a url antiga e será possível fazer o redirecionamento (através do comando Redirect 301) para a url nova, eliminando estes erros;

– Links para seu site: será possível identificar links errados e sem qualidade apontando para o seu site. Se isso ocorrer pode-se submeter um comando para que o Google ignore o link do site “estranho”, não prejudicando assim seu ranqueamento;

– Sitemaps: essa ferramenta é essencial para que a indexação do Google ocorra de maneira rápida e seu texto seja encontrado pelos buscadores poucas horas depois de publicado. Se você ainda não possui um sitemap recomendamos faze-lo imediatamente. Com a ferramenta você poderá acompanhar semanalmente quantas páginas do seu blog o Google está indexando.

Além disso, outro motivo importantíssimo de ter seu site cadastrado no Google Webmaster Tools é monitorar a “saúde” e segurança do seu site. Por saúde entenda se o seu site está acessível ao Googlebot, se está offline, se os DNS’s da sua hospedagem estão respondendo corretamente, etc. E a nível de segurança, você pode ser informado se o seu site foi comprometido por crackers.

7) Links internos:

Outro fator que precisa ser muito explorado em todas as postagens do seu blog é a geração de links internos, ou seja, interligação do próprio conteúdo para aumentar a relevância dos temas.

Cuidado importante: o link tem de ser feito exatamente na palavra desejada. Por exemplo: temos um ótimo post sobre Marketing Viral. Ao invés de usar o link na palavra “post” utilizamos em Marketing Viral, pois é ela que queremos promover.

Existem muitas outras técnicas e dicas de SEO relevantes e o foco desse post foi separar as mais vitais. Dentro de cada uma delas abrem-se muitas possibilidades mas a receita não é complexa: trabalho duro, conteúdo de qualidade, relacionamento com blogs e páginas otimizadas. Se você fizer isso com maestria o tempo cuidará do resto!

Veja também nosso webinar sobre Marketing de Conteúdo para escalar Vendas:

Resumo
7 Dicas de SEO práticas para começar a aplicar hoje
Título do Post
7 Dicas de SEO práticas para começar a aplicar hoje
Descrição
Algumas dicas de SEO encontradas na internet levam em conta só o conteúdo, mas existem vários outros fatores de ranqueamento. Descubra os principais aqui!
Autor

Você pode gostar também de...