Talvez?! Por que não se contentar com essa resposta

talvez-em-vendas

Vamos ser sinceros: ninguém gosta de levar um não na cara. Todo vendedor já sentiu esse medo (alguns ainda sentem) e fazem de tudo para fugir dele.

E aí passam a ser melhores amigos do “talvez”.

O problema do talvez é que ele não resulta em nenhuma ação concreta – não existe avanço nem descarte. E é aí que está o perigo.

Descartar um lead nem sempre é fácil e não é incomum ver um certo apego acontecendo, tanto a deals com possibilidade de alto ticket quanto aos que demonstraram muito interesse e entusiasmo em determinada etapa.

Não descartar faz com que o deal fique estagnado, ocupando espaço no funil de vendas, mas sem real chance de se concretizar em receita.  E quando o funil de vendas fica cheio, o vendedor:

  • Não consegue ver quais oportunidades precisam ser trabalhadas;
  • Perde o controle sobre as atividades de recuperação de leads e dos novos leads ativos;
  • Não sabe quanto de receita o pipeline realmente pode gerar;
  • Não consegue ter previsibilidade de vendas, prejudicando as metas de toda a empresa.

O que o “talvez” realmente significa

O talvez pode ter vários significados, todos eles relacionados ao fato de que o prospect está em cima do muro – e possivelmente pensando em pular do lado longe de você.

  • Não estou pronto para seguir em frente;
  • Você não me convenceu que esta realmente é a melhor opção;
  • Não sinto segurança em dizer sim;
  • Não é uma prioridade mas não sei como dizer isso;
  • Não sou eu quem pode dizer ‘sim” ou ‘não’ (quando a pessoa não é decisora ou depende de outra para decidir),

Como você pode ver, todos esses significados estão associados à palavra “não”. Em geral, essas respostas estão ligadas a problemas durante o processo de vendas:

  • A necessidade não foi bem constatada;
  • Não foi gerada urgência no prospect;
  • Não ficou claro quem são os decisores (e a pessoa está apenas pesquisando);
  • Não foi estabelecido um canal claro de comunicação, com confiança.

Mas não dá de viver só de talvez, né? Quanto antes você ouvir o “não” claramente, melhor para você e a gente vai te explicar o porquê.

Por que você deveria ir atrás do não, sem medo

“What they are really saying is, ‘I’m saying ‘No’ or a form of ‘No’ because you haven’t given me enough of a compelling reason to buy from you or have satisfied all of my concerns and priorities.'”
— Keith Rosen

O primeiro motivo é que o “não” é uma posição, uma saída. Ele diz claramente “não vamos adiante”. E nesse momento você tem duas opções:

  1. Tentar entender a razão para isso e revertê-lo;
  2. Aceitá-lo, pois realmente foi feito tudo ao seu alcance, e seguir em frente.

O segundo motivo é que o “não” vai limpar o seu pipeline e favorecer a produtividade, em vez de criar uma esperança.

Falamos acima sobre os problemas que podem surgir no pipeline de vendas quando o “não” não existe. Deals abarrotando certas etapas do CRM, sem saber quais estão ativos e quais não, quais precisam de atividades e quais já estão fazendo aniversário ali…

Entendemos que abandonar uma oportunidade e não ser esperançoso é difícil, mas exercitar esse desapego é essencial para conseguir ter um processo de vendas eficiente. Para isso, busque se atentar apenas aos gatilhos de passagem e ao Playbook de Vendas. Ao remover o quesito pessoal da jogada, o que resta são processos mapeados e que funcionam.

Ficou claro?

“Não” no início, no meio e no fim do processo de vendas

Existe uma grande diferença no significado e no impacto do “não”, dependendo de quando ele acontece.

No início, nas fases de conexão e diagnóstico, o “não” é mais impessoal (relacionado ao seu produto, é claro). Respostas como “não posso falar agora” e “não estou interessado” são genéricos e muitas vezes dados automaticamente. Ou seja, não são objeções do processo de vendas. Neste primeiro caso, uma abordagem consultiva explicando a razão por você estar ligando pode ser suficiente para diminuir essas respostas.

No meio do processo, um “não” pode significar que, após o diagnóstico, foi constatado que realmente não faz sentido seguir adiante. Talvez ele não tenha a necessidade, ou não seja uma prioridade no momento. O importante é saber fazer as perguntas certas para ter esse entendimento e não desperdiçar mais tempo. Pois é o próximo não que custa caro para a sua empresa.

O “não” no fim do processo, na etapa de fechamento, mostra problemas ao longo do processo de vendas, podendo ser na etapa de necessidade (será que o vendedor não foi claro?), na demonstração (não foi possível gerar valor?) ou na proposta comercial (a validação de budget ocorreu muito tarde?).

Nesta etapa, o vendedor já gastou tempo no deal e já estava contando com aquele fechamento, talvez tendo deixado de abordar outra oportunidade.

E aí, está pronto para começar a evitar o “talvez”? Dá uma olhada nas nossas dicas!

Como evitar o “talvez” na prática

Muitas das dicas que estão aqui são coisas que você pode trabalhar em sessões de coaching e role play. O nosso objetivo é te dar as ferramentas para conseguir tirar uma resposta do seu prospect, e fugir do talvez para todo o sempre!

Vamos lá?!

Faça perguntas fechadas

Perguntas fechadas são aquelas em que o prospect só pode responder “sim” ou “não”.  São ótimas para conseguir uma resposta clara e sem escape, e para garantir avanços.

Elas também podem ser usadas para confirmar se a pessoa está acompanhando o processo, se ficou alguma dúvida etc.

Confira também:
Guia: perguntas para prospecção de clientes, qualificar e diagnosticar leads

Seja incisivo

Não fique pisando em ovos e com medo de fazer as perguntas difíceis. Um bom vendedor é aquele que consegue desafiar o prospect, fazendo-o sair da zona de conforto e cativando o interesse sem ser desagradável.

Tome cuidado, pois pressionar demais pode acabar afastando-o!

Confira também:
A Venda Desafiadora: grandes lições do livro
[Avançado] O que é SPIN Selling? Uma das mais conhecidas e poderosas Técnicas de Vendas

Crie urgência

É possível fazer isso com perguntas de implicação, ao concretizar as perdas que a empresa está sofrendo (fazendo um cálculo, por exemplo), perguntando sobre metas e prazos, sobre o que deseja alcançar até dezembro e o que está sendo feito para chegar lá.

A urgência é aquele desconforto que o prospect sente ao falar sobre coisas que ele não quer muito falar, mas sabe que precisa. Tirar a pessoa da sua zona de conforto é o que vai gerar urgência de forma bem-sucedida.

Confira também:
Checklist de prospecção: cumpra essas tarefas para agendar mais reuniões
Gatilhos mentais para vendas: aprenda o que são e como aplicar nas suas vendas

Mostre como sua empresa pode realmente ajudar

Ter um plano de ação ou focar a apresentação da solução (caso seja SaaS), pontuando exatamente como aquilo vai ajudar o prospect, é uma ótima forma de chegar mais perto do sim. Evite entrar em muitos detalhes e não foque em processos genéricos e funcionalidades.

Tente apenas responder “como isso vai ajudar a empresa do prospect?” Deixando isso claro, as objeções cairão por terra.

Exija um próximo passo

Venda é uma troca. Isso quer dizer que você, vendedor, pode pedir tanto quanto o prospect. Não deixe apenas ele “mandar” na negociação, exija algo em troca – um próximo passo – a cada etapa.

Recebemos a Dayane Prim no Casts for Closers e ela deu várias dicas sobre como levar uma negociação. Confira!

Para mais dicas de como evitar o talvez e se tornar um vendedor de Inside Sales ainda melhor, dê uma olhada na nossa certificação!

Resumo
Talvez?! Por que não se contentar com essa resposta
Título do Post
Talvez?! Por que não se contentar com essa resposta
Descrição
É vendedor e tem medo de ouvir "não"? Acredite: o "talvez" pode ser pior! Entenda por que não ter avanços claros é prejudicial para o pipeline de vendas.
Autor

Você pode gostar também de...