• Vendas

O que é um Dashboard de Vendas e como criar o seu

O dashboard de vendas é uma forma simplificada de apresentação de diversos dados comerciais. A ideia é compilar informações de fontes variadas em um único lugar, de uma forma mais visual, para facilitar o acompanhamento e a geração de insights.  

O que é mais importante na hora de um líder tomar uma decisão? Intuição? Experiência? Se fosse até algum tempo atrás, talvez essas fossem as características mais consideradas. Hoje, não se pode falar de decisão sem falar em dados. Um bom gestor comercial define metas e estratégias por meio da análise de dados. 

Porém, há um alerta. Não há mais limites para o que pode ser medido. Todas etapas e ações são metrificáveis, o que gera uma imensidão de dados, que é fácil de se perder, se não souber no que focar. Para isso, o dashboard de vendas pode te ajudar. 

O que é o dashboard de vendas?

O dashboard de vendas é uma representação visual dos dados comerciais do seu negócio. Ele tem o objetivo de compilar informações de diferentes fontes e apresentá-las de um modo simplificado, para facilitar a compreensão e gerar insights rápidos e práticos. Algumas métricas comuns acompanhadas pelo dashboard são taxa de conversão, metas x realizado e receita.

Contudo, o dashboard comercial é uma ferramenta customizável, podendo se adaptar a cada realidade de negócio. Cabe ao gerente de vendas decidir os KPIs que deseja acompanhar no momento, para ajudá-lo a tomar decisões. Embora também seja uma ferramenta importante para o seu time estar a par do progresso em relação às metas de vendas.

Os dashboards são a base para a geração de relatórios e insumos para apresentações de resultados. 

Por que o dashboard de vendas é importante para o seu negócio?

A importância do dashboard comercial vem da capacidade que ele tem de simplificar a análise de dados, demonstrando resultados e comparativos de forma bastante visual para que todos possam entender. 

Ter um dashboard disponível ajuda o time de vendas, assim como a empresa de modo geral, a se manter atualizado com as metas e resultados comerciais do negócio. Além de ganhar tempo e ter mais controle sobre os processos, evitando a sobrecarga de dados. 

Já deu para perceber que essa ferramenta pode ser uma grande aliada para alcançar os seus objetivos. Quer saber como você pode ter um dashboard para a sua equipe comercial? Confira 4 formas de fazer isso. 

4 exemplos de dashboard de vendas

O dashboard de vendas pode ser criado de diversas formas. Isso vai depender principalmente da complexidade de análise que deseja fazer e das ferramentas que tenha disponível. 

Para empresas iniciantes, planilhas podem ser suficientes, já para empresas mais robustas pode ser usado a sua ferramenta de CRM ou fazer as análises em um BI. Confira as opções e descubra qual se encaixa melhor na sua realidade. 

1. Planilhas

Para empresas que estão começando e ainda não possuem muita complexidade em dados, ou até mesmo receita para contratar ferramentas, as planilhas são uma boa opção. São gratuitas e customizáveis, podendo se adaptar a diversas realidades, porém são limitadas. 

Na medida que a sua empresa começar a crescer e o volume de dados aumentar, as planilhas não serão suficientes. Elas têm um limite de processamento, por isso começam a ficar muito lentas e até travam, além de que um pequeno erro em uma célula pode escalar para um problemão nos dados de toda a empresa. 

Se a sua melhor alternativa hoje for utilizar as planilhas, não tem problema. Mas saiba que elas têm prazo de validade. Inclusive, temos um material que pode te ajudar nesse quesito. Com ele, você consegue fazer o forecast e montar o seu dashboard. Confira a nossa Planilha de Metas e Previsão de Vendas.

2. CRM

Empresas que já possuem um CRM podem utilizá-lo para gerar os seus dashboards. Muitos deles, senão todos, possuem essa opção de visualização. Nesse caso, o trabalho manual é mínimo, a plataforma gera as análises. Cabe ao gestor aplicar a inteligência em cima destes dados e tirar conclusões. 

Existem algumas desvantagens. CRMs mais simples, como o RD CRM ou o Pipedrive em sua versão mais básica, normalmente apresentam apenas dashboards pré-definidos. Em alguns casos isso é até bom, caso o gestor ainda não tenha muita clareza de quais métricas deve acompanhar, mas não deixa de ser uma limitação. 

Outra questão importante é quão centralizadas são as informações que você tem dos seus clientes. CRMs mais robustos, como o Hubspot, Zoho e Salesforce, possuem todo o ciclo do lead dentro deles, eles são a fonte da verdade dos dados de vendas da empresa. Assim, é possível criar dashboards personalizados com todo tipo de informação contida na ferramenta. 

Agora, o que acontece é que muitas vezes a informação dos clientes não está centralizada no CRM. Existe uma automação de marketing que possui as informações do cliente até se tornar MQL, uma ferramenta Sales Engagement para o estágio entre MQL e SQL, o CRM para o intervalo entre MQL e cliente, outra para gestão de clientes. Se esse for seu caso, você vai precisar de outra ferramenta para cruzar esses dados.

3. BI

Nos casos em que a empresa possui ferramentas diferentes para cada etapa da venda, é preciso arrumar um jeito de unificar estes dados para fazer uma análise integral. Só assim será possível obter, por exemplo, uma taxa de conversão MQL para cliente. Para isso, pode-se utilizar uma ferramenta de BI. 

A desvantagem, nesse caso, é que essa ferramenta já pede um conhecimento mais específico. Caso não haja uma pessoa na empresa com habilidade para utilizá-la, uma saída é optar pelos softwares específicos. 

4. Softwares específicos

Existem plataformas específicas para a geração de dashboards de vendas. Os layouts podem variar, mas todas vão basicamente entregar uma melhor visualização dos dados. A grande vantagem dessa opção é que você não precisa se preocupar em organizar estes dados, elas já estão aptas para integrar com diversas fontes de informação.

Como fazer um dashboard de vendas?

1. Determine as métricas de vendas que serão acompanhadas

Quais métricas são as mais importantes para você acompanhar nesse momento? Um dashboard é feito de métricas e você só sabe bem quais medir e acompanhar tendo metas bem definidas. 

Não tem como acompanhar tudo, por isso é preciso saber aquelas que mais te ajudam a chegar mais perto das metas estabelecidas. O dashboard vai te ajudar a visualizar este progresso. 

Se não souber bem quais métricas acompanhar, confira neste episódio do Casts for Closers quais são as mais importantes para o seu negócio.

2. Escolha onde será feito o dashboard

Como você viu no tópico acima, existem várias formas para você desenvolver o seu dashboard, desde planilhas a softwares específicos. Tudo depende das ferramentas que você tem disponíveis, a necessidade frente à complexidade da sua operação e orçamento para investir. 

Comece nem que seja por planilhas, porém, se você ainda não tiver um CRM, recomendamos fortemente a adotar um para a sua operação. Quanto antes você adotar essa ferramenta para a sua operação, mais organizada e ágil ele será.

Descubra como escolher um CRM para a sua empresa.

3. Adicione dados

O melhor cenário é quando você tem a maior parte dos dados centralizados em uma plataforma ou utiliza um software que integra com todas as suas outras ferramentas. Se isso acontecer, não haverá trabalho braçal. 

Caso essa não seja a sua realidade, você precisará reunir os dados. Liste todas as plataformas que você precisa retirar as informações e depois exporte esses dados para a ferramenta de sua escolha. 

4. Cuide do visual

Ninguém precisa ser designer para montar um dashboard de vendas, porém é preciso ter noção de algumas boas práticas para que ele cumpra o seu objetivo. O principal foco que você deve ter é buscar clareza. Foque apenas no que é importante e necessário, deixando as informações dispensáveis naquele momento de lado para não confundir.

Outra dica importante é ter consistência. Use os mesmos nomes, siglas, ícones, formatação de datas e cores para todas as páginas. Isso vai ajudar a compreensão e evitar erros de interpretação. 

Por fim, saiba escolher bem como apresentar cada métrica. Existem 4 tipos de apresentações visuais de dados mais comuns, vamos falar delas abaixo, apontando o melhor uso de cada.

Tabelas

tabela-dashboard-de-vendas

As tabelas organizam dados em linhas e colunas. Apresentam um quadro geral e conseguem comparar diversos elementos de uma vez, são ótimos para demonstrar um histórico e organizar dados por categorias. 

Gráfico em linhas

gráfico em linhas - dashboard de vendas

O gráfico em linhas é uma série de dados marcados como pontos em um gráfico e depois conectados por uma linha. Esse tipo de gráfico é ótimo para a visualização de tendências e padrões ao longo do tempo. 

Gráfico em barras

gráfico em colunas - dashboard de vendas

Os gráficos de barra ou colunas tornam bastante visual a comparação de dados relacionados entre si. Você pode usá-lo para comparar 2 ou mais valores da mesma categoria, parte de um todo, entender como vários conjuntos de dados se relacionam entre si. A boa prática aqui é ser consistente no uso das cores e legendas e comparar menos de 10 grupos de dados, para não ficar confuso. 

Gráfico em pizza

gráfico em pizza

O gráfico em pizza é uma boa opção para comparar partes de um todo. O cuidado aqui é evitar que tenha muitos segmentos comparados de uma vez só, caso contrário o gráfico pode ficar  poluído. 

5. Gere relatórios

O dashboard traz uma visão geral da área, que é muito importante para o gestor. Porém, em reuniões e apresentações, o mais provável é que apenas alguns dos dados importem mais. Para obter tais informações, basta gerar relatórios, o que é muito fácil tendo um dashboard atualizado à sua disposição. 

Esse é mais um motivo para se reforçar a necessidade de um ter um design simples. Muitas pessoas que vão visualizar esses relatórios podem não ser especialistas da área, portanto eles devem ser bem claros e precisos. 

Qual é a diferença de um dashboard de vendas e um relatório de vendas?

Embora ambos tenham muitas similaridades, um relatório de vendas pode ser descrito com um recorte de um momento do dashboard. Ou seja, enquanto o dashboard tem o objetivo de monitorar uma área de interesse ou objetivos, o relatório apenas reporta esses dados sobre algum período de interesse. 

Diferenças:

  • Relatórios são estáticos, enquanto dashboards são interativos e dinâmicos, sendo atualizados constantemente;
  • Relatórios compartilham informações sobre áreas e objetivos, enquanto o dashboard monitoram essas mesmas informações.

Ter um dashboard de vendas pode te ajudar a fazer um acompanhamento mais próximo da performance do seu time, assim como facilitar na hora de apresentar resultados para a empresa. Os dados ficam mais visuais e focados em um lugar só, o que é ótimo para a produtividade. 

Se você deseja utilizar esta ferramenta em seu negócio mas não sabe bem por onde começar, baixe a nossa Planilha de Metas e Previsão de Vendas. Pode te ajudar bastante!

Veja mais assuntos relacionados:

Veja também

Mais informações sobre Inside Sales para você. Veja:

Acompanhe todas as novidades
sobre Inside Sales

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro do assunto!

Obrigado! Seu cadastro foi realizado com sucesso. 😉