O que é Venture Capital e a hora certa para levantar esse capital

O que é Venture Capital

Entender o que é Venture Capital é complexo!

Não muito, mas o suficiente para que você tenha que passar alguns anos lendo, conversando e vivendo nesse mundo para entender como a “brincadeira funciona”. A maioria dos termos e conceitos utilizados vem do mercado americano, e isso é possível aprender rapidamente, mas são as reuniões e o processo de investimento que requerem um tempo extra.

É importante entender o que é Venture Capital não como algo novo, afinal, 100% das bilionárias empresas de tecnologia do mundo foram financiadas por esse mecanismo. Quer alguns exemplos? Apple, Microsoft, Yahoo, Google, LinkedIn e praticamente todas as outras gigantes de tecnologia levantaram capital com fundos de investimento para financiar seus crescimentos.

Vamos começar trazendo definições claras sobre esse mercado, o que é venture capital sob a perspectiva dos investidores, seguido de algumas dicas práticas sobre o momento certo de buscar financiamento, como faze-lo e outras dicas importantes.

O que é Venture Capital e outros conceitos importantes para financiar sua Startup 

O que é Venture Capital?

O mercado de Venture Capital é formado principalmente por 3 entidades:

A Firma: organização que investe em empresas privadas (o tamanho e setor das empresas investidas varia dependendo da firma e do fundo), de modo a potencializar seus resultados em média e longo prazo.

Ex: Sequoia Capital, Andreessen Horowitz, Monashees e Astella (as duas últimas são Brasileiras).

O Fundo: mecanismo pelo qual as firmas investem em empresas. Os recursos dos fundos são levantados junto de grandes empresas, investidores pessoa física com grande acesso a capital e outras entidades, e administrados pelas firmas, que usarão esses recursos para injetar capital na empresa.

A maioria dos fundos estabelece prioridades de investimento, sendo que um fundo de uma firma pode ter como foco o investimento em empresas de biotecnologia e e-commerce, enquanto um segundo fundo captado focar unicamente no mercado mobile.

O objetivo de um fundo é realizar uma série de investimentos durante poucos anos, e recuperar X vezes o investimento realizado num prazo que varia de 7 à 10 anos, dando retorno às pessoas que investiram no fundo e para a firma. Quanto maior o valor de X, mais bem sucedido o fundo e mais fácil será captar outro.

Os Sócios: administradores da firma, fazem seu gerenciamento no dia a dia, decidem em que empresas realizar investimento, compõem conselhos de administração, entre outras atividades.

Qual o objetivo de firmas de Venture Capital?

O objetivo é bem claro: ganhar dinheiro. Eles investem capital em uma empresa em troca de uma porcentagem societária, de 20 à 40%, dependendo do volume de investimento, estágio da empresa, experiência do time empreendedor e outras variáveis.

Dentro de alguns anos eles pretendem vender essas ações, através de um IPO ou à compra da empresa por uma corporação de maior porte, e recuperar X vezes seu investimento.

E qual o seu desafio?

Ganhar MUITO dinheiro. Esse é o X da questão porque é a única forma de compensar o risco que os investidores assumem quando injetam dinheiro em determinado fundo.

Um investidor que coloca R$ 10 milhões em um fundo poderia optar por colocar esse valor na poupança, e tomando como base um rendimento de 6% ao ano, ele teria acumulado no final de 10 anos algo em torno de R$ 17 milhões, praticamente sem risco. Então investir em um fundo para ver seu capital dobrar em 10 anos é um péssimo negócio.

Fundos de investimento devem ter um retorno de 3 a 5 vezes o valor do fundo para serem bem sucedidos.

Existe grande possibilidade das empresas investidas falharem e não retornarem qualquer capital ao fundo (o que acontece com cerca de 50% das empresas investidas), e esse é o risco que os investidores correm. Para compensar as perdas com essas empresas, o fundo precisa investir em algumas pérolas, empresas que irão retornar o valor investido mais de 10 vezes.

Para entender plenamente o que é Venture Capital, seria interessante dar  um olhada no que Peter Thiel, fundador do PayPal e sócio do Founders Fund, publicou recentemente um livro intitulado Zero to One, e no capítulo dedicado a Venture Capital ele aborda esse ponto brilhantemente:

“The biggest secret in venture capital is that the best investment in a successful fund equals or outperforms the entire rest of the fund combined. This implies two very strange rules for VCs. First, only invest in companies that have the potential to return the value of the entire fund. This is a scary rule, because it eliminates the vast majority of possible investments. And this leads to rule number two: because rule number one is so restrictive, there can’t be any other rules.”

Para complementar esse raciocínio ele usa o seguinte exemplo: em 2010 a firma de Venture Capital Andreessen Horowitz investiu 250 mil dólares no Instagram.

Dois anos depois ele foi comprado pelo Facebook por 1 bilhão de dólares, rendendo a firma 78 milhões de dólares (um retorno absolutamente espetacular de 312 vezes o capital investido).

Porém, o fundo do qual o Instagram fez parte era de 1,5 bilhão de dólares, e apenas para recuperar esse valor a firma teria que encontrar 19 Instagrams (tarefa NADA fácil). Dessa forma, os fundos mais bem sucedidos são aqueles que buscam empresas pérolas (que tem potencial para retornar o investimento realizado muitíssimas vezes) e investem pesado nelas.

1) Minha empresa tem o perfil para receber Venture Capital?

Agora que entendemos claramente o objetivo de uma firma de Venture Capital e como sua dinâmica de investimento funciona, responder se sua empresa tem o perfil para receber financiamento de um VC é relativamente fácil.

Fazendo uma simulação simples: digamos que você esteja buscando levantar R$ 3 milhões para aumentar seu time de vendas, e para isso esteja disposto a abrir mão de 25% da empresa. Em outras palavras, sua empresa como um todo vale R$ 12 milhões.

Quando você apresentar essa proposta à um investidor, a pergunta que ele irá se fazer é: esse negócio tem o potencial e atua em um mercado suficientemente grande para daqui a 10 anos valer R$ 100 milhões? Se a resposta for sim, os 25% que ele comprou irão valer R$ 25 milhões depois de uma década (mais de 8 vezes o valor investido), e o seu negócio tem o perfil para receber investimento de um Venture Capital.

Agora se a conclusão é que depois de uma década, seja por características do modelo de negócio, tecnologia ou tamanho de mercado, à empresa pode na melhor das hipóteses valer R$ 20 milhões, os 25% irão representar R$ 4 milhões (nem duas vezes o valor injetado), e o negócio não tem o perfil para ser financiado por esse tipo de fundo de investimento. Isso não quer dizer que seja um negócio ruim para o empreendedor, apenas não traz o retorno que esse tipo de investidor precisa alcançar para que a conta feche no final da sua operação.

Então faça essa reflexão internamente: minha empresa pode crescer rapidamente e gerar o retorno que esses investidores esperam? Se a resposta for não o melhor a fazer é não desperdiçar tempo nisso e ir direto buscar outras modalidades de investimento.

Se a resposta for sim, chegamos à segunda dúvida:

2) Minha empresa está pronta para receber investimento de um Venture Capital?

Essas firmas gostam de ser a gasolina em uma fogueira acesa, não os gravetos que irão começar o fogo. O que queremos dizer com essa metáfora é que no mercado atual, fundos de Venture Capital querem aportar dinheiro em empresas que já tenham claros sinais de tração, tenham ultrapassado os riscos de execução iniciais e que tenham mostrado que o time formado é o que irá transformar o negócio em um sucesso.

Então, a menos que você seja um empreendedor serial com uma lista de sucessos passados (por sucesso entenda a criação e venda de empresas, retornando capital para um investidor), esqueça a ideia de levantar dinheiro com VCs para tirar uma ideia do papel.

O melhor a fazer é atingir o Product Market Fit com recursos próprios e ainda pequeno, e depois disso buscar financiamento para pisar no acelerador.

Abordamos em detalhe esse tema em nosso post sobre como criar uma startup de sucesso no Brasil, onde exploramos a forma como a Resultados Digitais, principal empresa brasileira de marketing digital, teve seu crescimento exponencial (ver figura abaixo).

Outro ponto que investidores irão verificar antes de realizar um investimento é se os sócios estão vinculados a um Contrato de Vesting. Se sua empresa não tem um ou você quer saber exatamente o que é Vesting, não deixe de conferir esses links!

Agora que você já tem uma melhor compreensão sobre o que é Venture Capital, analise os fatores apresentados em nosso texto e verifique se já é o momento de buscar este tipo de apoio financeiro para o seu negócio.

Baixe o modelo de Contrato de Vesting:

Resumo
Venture Capital: existe hora certa para levantar capital?
Título do Post
Venture Capital: existe hora certa para levantar capital?
Descrição
Explicamos em detalhes o que é um Venture Capital, a hora certa de sua empresa captar dinheiro e como escolher o fundo certo. Confira no post acima!
Autor

Você pode gostar também de...