Gestão estratégica: o que é e 4 dicas para pôr em prática

O bom é inimigo do ótimo. Você já deve ter escutado por aí essa frase e ela explica a razão de muitos negócios não se destacarem. Ficar focado somente nas tarefas diárias e no básico, não fazem uma empresa avançar. 

A gestão estratégica é uma necessidade para os empreendimentos que desejam crescer e serem relevantes no mercado. Sem ela, não é possível caminhar, até mesmo porque ela mostra o passo a passo para atingir os objetivos. 

Quer entender como colocar a gestão estratégica em prática? Continue a leitura do artigo e aprenda a projetar as ações da sua empresa! 

O que é gestão estratégica?

Gestão estratégica é o conjunto de práticas e objetivos definidos pelos principais gestores de uma empresa, levando em consideração os ambientes interno e externo da companhia. 

Além de determinar os principais objetivos de uma organização em determinado período de tempo, os executivos também são responsáveis por definir como esses objetivos serão alcançados e alocar recursos para que as metas se concretizem.

Grandes empresas já estão acostumadas com um trabalho de gestão estratégica (embora você ficaria surpreso em saber o número de empresas multimilionárias que negligenciam totalmente esse processo).

O que muitos não sabem é que pequenas empresas podem se beneficiar das melhores práticas de gestão estratégica para turbinar seu crescimento, e podem fazer isso sem grandes orçamentos para gastar em um planejamento estratégico.

Como fazer uma gestão estratégica de empresas?

Algumas ações ajudam a tornar a gestão estratégica prática e eficiente, conheça algumas a seguir! 

Analise a empresa 

Uma gestão estratégica leva em consideração as potencialidades da empresa, baseando-se na análise SWOT: oportunidades, ameaças, forças e fraquezas. A análise deve considerar o cenário externo e interno, o diagnóstico obtido a partir desses dados vai ajudar no cumprimento de metas estipuladas de uma companhia.

Analisar o ambiente permite a compreensão do funcionamento da empresa e visa melhorar o desempenho de todos os fatores ligados ao negócio — pessoas, produtos, serviços, relações com o mercado, estrutura organizacional, finanças, entre outros.

Torne os processos menos burocráticos

Facilitar processos que normalmente são burocráticos ajuda a trazer maior eficácia para a gestão. Os acompanhamentos de números, processos de contratação, jurídicos e até vendas podem ser bastante lentos e burocráticos. 

Por isso, é importante sair da burocracia facilitando o processo, eliminar aquelas práticas desnecessárias ou mesmo adaptá-las para ganhar tempo ajuda na conquista de melhores resultados.

Formule a estratégia

O primeiro passo para formular uma estratégia é fazer a revisão de todos os dados obtidos. É muito importante definir quais são os recursos disponíveis e que vão ajudá-lo a alcançar os objetivos preestabelecidos.

Em seguida, devem ser identificadas as áreas em que a empresa deve buscar recursos externos. Lembrando que problemas enfrentados pela empresa precisam ser priorizados para garantir o sucesso da empreitada. 

Defina os papéis

Determinar o que cada colaborador vai fazer é parte primordial do processo. Por isso, faça a delegação correta das tarefas e responsabilidade de cada membro da equipe. Uma boa gestão estratégia pede planejamento e também tempo, recursos e pessoas 

Para que os profissionais possam executar as suas tarefas de uma maneira que contribua para o sucesso da empresa, é necessário que cada pessoa conheça o escopo de sua responsabilidade. Além disso, deve existir uma comunicação eficaz entre o colaborador e o gestor direto.

4 dicas para aplicar a gestão estratégica e ter grandes resultados

Agora que você já entendeu como fazer uma gestão mais estratégica é hora de aplicar os conhecimentos e obter grandes resultados!

1) Grandes resultados demandam grandes projetos

“Insanidade é continuar fazendo sempre as mesmas coisas e esperar resultados diferentes”Albert Einstein.

De nada adianta você criar grandes expectativas para o crescimento do seu faturamento no ano, se não criou projetos e ações que podem transformar essas expectativas em crescimento tangível.

Digamos que você tenha uma padaria e que há muitos anos o faturamento anual dela gire em torno de R$ 240 mil. Nem em sonho você irá alcançar um faturamento de R$ 400 mil sem modificar radicalmente sua operação. O que pode-se fazer, por exemplo, é investir em um projeto de pães e doces sem glúten, atraindo assim novos tipos de clientes.

Outra possível ação seria aumentar o ticket médio dos clientes atuais, criando uma nova seção na padaria com porções de comida caseira feitas no mesmo dia. Este podcast fala mais da importância e de como aumentar o ticket médio:

Esses exemplos demonstram uma realidade: grandes projetos podem gerar grandes resultados. Isso nem sempre é verdade, porque existe o risco de projetos não darem certo. Porém, são riscos que você deve correr para alavancar um negócio através da gestão estratégica dele.

2) A execução e o controle devem ter alto nível

Grandes projetos levam tempo para serem implementados e gerarem resultados. Por isso é interessante definir uma série de marcos para o projeto ao longo de sua implantação. Dessa forma, é possível verificar a probabilidade dele gerar o resultado esperado, ou em caso negativo, cancelar o projeto antes que mais recursos sejam consumidos.

O tamanho e periodicidade do ciclo de feedbacks varia de projeto para projeto. Para pequenas empresas, onde ações tendem a ser sentidas no curto prazo, uma periodicidade mensal de feedbacks sobre um novo projeto está de bom tamanho.

O importante é não deixar de avaliar se os recursos investidos em um novo projeto (ou menos em atividades da empresa já ativas) estão trazendo o resultado esperado.

3) Planejamento estratégico precisa ser eficiente

Onde queremos chegar? E quando queremos chegar lá? Com essas duas respostas em mãos já é possível traçar uma projeção de crescimento mês a mês, que irá permitir que você acompanhe o crescimento da sua empresa ou de um projeto específico.

Não se esqueça: as projeções de crescimento devem ser construídas com base nos projetos e investimentos que serão feitos em um período de tempo. Não adianta esperar um crescimento de 200% em um ano caso você não faça nada de diferente para alcançar esse objetivo.

“É importante ter metas, mas também é fundamental planejar cuidadosamente cada passo para atingi-las”. Bernardinho, um profissional que, com certeza, sabe o que é gestão estratégica.

4) Uma boa base de estudo faz toda a diferença 

Se você quer saber mais sobre gestão de empresas e quais estratégias funcionam, é importante apostar em um aprendizado continuado.

Para que você compreenda definitivamente o que é gestão estratégica, precisamos falar de gestão estratégica sem falar de Michael Porter. O guru americano de estratégia competitiva criou o modelo de análise de 5 forças que até hoje serve como base para análise de mercado de muitas empresas.

Por isso, recomendamos dois de seus livros que, embora já publicados há muitos anos, continuam sendo leitura obrigatória em se tratando de gestão estratégica: Estratégia Competitiva e Vantagem Competitiva.

Estratégia Competitiva: Técnicas Para Análise de Indústrias e da Concorrência

No Estratégia Competitiva, Porter faz uma análise sobre a complexidade da competição na indústria e aborda uma nova perspectiva em relação a maneira como o lucro é criado e dividido. 

Para isso, são analisados cases de sucesso de empresas sobre diferentes forças competitivas que afetam um negócio, bem como possíveis estratégias para competir e abandonar mercados, além de identificar oportunidades.

Vantagem Competitiva: Criando e Sustentando um Desempenho Superior

Nesta obra, Porter mostra de que maneira analisar a posição competitiva de uma empresa e implementar as etapas de ação específicas necessárias para aprimorá-las. 

A opção por ambiente, as atividades da empresa, produção, marketing, tudo é analisado em conjunto, oferecendo uma perspectiva prática para um mercado cada vez mais competitivo.

Aproveite e veja a nossa recomendação com 7 livros de vendas: 

Conclusão

A gestão estratégica está focada no gerenciamento dos recursos de um negócio para alcançar objetivos e metas. Como mostrado, existem dicas práticas para implementá-la, lembrando que é importante alinhá-la ao planejamento estratégico. 

Existem métricas de mercado para comparar sua operação comercial com outras empresas. Quer tomar decisões com base em tendências de geração de demanda, prospecção, negociação e vendas para montar a sua gestão estratégica? Baixe o nosso material Inside Sales Benchmark Brasil 2022!

Pesquisa: Inside Sales Benchmark Brasil

Publicado em: 19 de maio de 2013. Última atualização em: 23 de setembro de 2022.

Diego Cordovez

Diego Cordovez

Co-fundador da Meetime

Diego Cordovez é Engenheiro Mecânico, sócio e diretor da Meetime. É responsável pelo maior mapeamento sobre este assunto no Brasil, a pesquisa Inside Sales Benchmark Brasil, e há 4 anos apresentador do podcast Casts for Closers, eleito em 2019 o melhor podcast de Vendas do Brasil, pela Vendas B2B Awards.

Veja mais assuntos relacionados:

Veja também

Mais informações sobre Inside Sales para você. Veja:

Acompanhe todas as novidades
sobre Inside Sales

Se inscreva na nossa newsletter e fique por dentro do assunto!